25 fevereiro 2012

E o sábado, como fica?

Essa era minha dúvida cruel há anos! Sempre que eu lia o Antigo Testamento eu ficava pensando que, da mesma forma como respeitamos as leis "Não matarás", "Não dirás falso testemunho", e etc, deveríamos também cumprir a lei do sábado.
Eu já pedi esclarecimento para várias pessoas, mas depois que eu respondia "Hm, entendi", a dúvida sempre voltava mais tarde. Até que um dia, lendo a Bíblia, o Espírito Santo de Deus me ensinou. E me ensinou de uma forma que a dúvida está completamente sanada, e usando um texto bíblico que ninguém tinha me mostrado para me explicar sobre isso.

Vamos então para o que Ele me ensinou: (Clique em leia mais)




Você já deve ter ouvido falar de Melquisedeque, não é? Bom, se não ouviu, ou não se lembra dele, vou refrescar sua memória:
Melquisedeque é da época de Abraão, ele era rei de Salém e era sacerdote de Deus, como Arão foi muito tempo depois. Mas ao contrário de Arão, ninguém sabia a descendência de Melquisedeque.
Conforme Hebreus 7: 3
"Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre".

(Semelhante não quer dizer que ele era Jesus, ok?)

Depois dele vieram muitos outros sacerdotes, até que Jesus Cristo aparece.
Os sacerdotes ofereciam sacrifícios de animais a Deus para o perdão dos pecados do povo, e quando Jesus veio ao mundo Ele mesmo se entregou para que pudéssemos ser perdoados de nossos pecados. E foi um sacrifício de uma vez por todas.

Em Hebreus 7: 20, 21 e 22 diz:

"E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes, mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque), de tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador."

Para entender melhor, vou colocar o que está escrito na Bíblia na linguagem de hoje:
"Além disso, há o juramento de Deus. Não houve juramento quando os outros se tornaram sacerdotes. Porém houve juramento quando Jesus se tornou sacerdote, pois Deus lhe disse: O Senhor jurou e não voltará atrás. Ele disse: Você será sacerdote para sempre. Portanto, essa diferença também faz com que Jesus seja a garantia de uma aliança melhor.

Quando o povo hebreu recebeu as tábuas da lei, no Antigo Testamento, Deus estava fazendo uma aliança com eles. Deus estava se tornando o deus deles. E quando Jesus veio, morreu e ressuscitou, formou-se a nova aliança, que é perfeita, pois o próprio Filho de Deus estava se entregando por amor ao seu povo. Agora vivemos debaixo da graça, e não da lei. Agora o Espírito Santo de Deus é quem nos ensina a melhor forma de servir a Deus e de viver a Sua vontade.

Mas os versículos que deixaram bem claro para mim a questão do sábado são os seguintes (Hebreus 7: 11 a 19) :

"De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar, visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio. E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote, que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível. Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque. Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus." 


Explicam que as leis foram feitas para o sacerdócio levítico, ou seja, para os sacerdotes descendentes de Levi, e se o sacerdócio dos levitas fosse perfeito, não precisaria de outro sacerdote da ordem de Melquisedeque, imortal, para continuar o trabalho. E quando muda o sacerdócio a lei também precisa ser mudada. Jesus não era da tribo de Levi, era da tribo de Judá, e agora é sacerdote para sempre (porque Ele vive eternamente e porque Deus jurou que Ele seria). A antiga lei não levava a pessoa a se aperfeiçoar, como um servo de Deus. Muitas pessoas só a cumpriam como um dever religioso. Agora, com a nova aliança, nos achegamos a Deus por amor, por prazer em estar em Sua presença.

E a nova lei, que precisava ser mudada?

Fui perceber isso só depois, Jesus dá dois mandamentos, em Marcos 12: 29 a 31:

"E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de toda as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes."
Bom, é isso o que eu aprendi. O capítulo 7 de Hebreus explica tudinho, leia, e peça que o Espírito Santo fale com você =)

Deus te abençoe.

Pri.

5 comentários:

  1. Muito abençoado esse blog *_*
    palavrasdeumagarotaincomum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nós te agradecemos pela visita Larissa, seja bem vinda! O seu blog também é muito legal!Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  3. O sabado deve sim ser santificado.... Os sábados cerimoniais deixaram de existir com a morte de Jesus, mas o sábado da Lei moral permanece. Textos: S. Mat. 27:51 e Col. 2:16 e os sabados que diz em colossenses diz a respeito dos 7 sabados :•

    1º Sábado – Páscoa – 15º dia do primeiro mês
    • 2º Sábado Festa dos Pães Asmos – 21º do primeiro mês.
    • 3º Sábado – Festa das Prímicias(Pentecostes) – 6º dia do terceiro mês.
    • 4º Sábado – Memória da Jubilação(Festa das Tormbetas) – 1º dia do sétimo mês.
    • 5º Sábado – Dia da Expiação(Yonkipur-Grande yoma) – 10º dia do sétimo mês.
    • 6º Sábado – 1º Dia da Festa dos Tabeernáculos – 15º dia do sétimo mês.
    • 7º Sábado – Último dia da Festa dos Tabernáculos – 22º dia sétimo mês.
    Esses dias eram chamados sábados, porque, ao chegarem, imprimiam na mente dos israelitas a mesma santidade do Sábado semanal.

    E alem disso Cristo cumpriu o sabado e mais do que isso ele disse ser o "Senhor do Sabado". E por que somente o sabado foi abolido da lei moral(dez mandamentos)?

    Assim o Filho do Homem até do sábado é Senhor.” S. Marcos 2: 28

    E mesmo depois da mrte de Cristo os apostolos continuaram a guardar o sabado:


    “E Paulo como tinha por costume, foi ter com eles e, por três sábados, disputou com eles sobre as Escrituras.” Actos 17:2
    Outros textos: Actos 18:4; Actos 13:27; 13:42-44; 15:21; 16:13

    Espero que tenha te esclarecido um pouco sobre a santificação do sabado que não foi abolido pois Cristo não veio para aboli-la mais sim para cumpri-la!

    “Não penseis que vim destruir a Lei e os profetas, não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que até que o céu e a terra passem, nenhum jota ou um til se omitirá da Lei, sem que tudo seja cumprido.” S. Mateus 5.17 e 18
    Amém!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, bom dia =) Desculpe a demora para responder.

      Acredito que com a vinda do Espírito Santo, o "trabalho" de nos dizer o que é certo e errado torna-se Dele. Não matamos porque sabemos que isso entristeceria o coração de Deus, por exemplo, e não porque está na Lei.

      Quando amamos a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a nós mesmos cumprimos todos os dez mandamentos. Não adulteramos, porque não gostaríamos que fossemos traídos. Não mentimos, porque não queremos que mintam para nós. Mas e o sábado? O sábado é descanso.
      No versículo que citou (Marcos 2: 28), antes dele, (Marcos 2: 27) diz que o sábado foi feito para servir as pessoas, e não para as pessoas servirem o sábado. Acredito que se Deus não tivesse instituído a lei do sábado aos israelitas, eles trabalhariam todos os dias e não tirariam nem um tempinho para adorar a Deus, visto que eram um povo que rapidamente esquecia-se do Senhor e logo procuravam outros deuses.

      Em nosso tempo não é lá muito diferente, a procura de riquezas, o homem trabalha feito louco e não tira um tempo para descansar e, muitas vezes, deixa Deus de lado. Com o Espírito Santo em nós sabemos que podemos entregar tudo nas mãos de Deus, porque até mesmo quando dormimos Ele nos providencia sustento.
      Então o que significaria o sábado: descanso, é lembrar que não somos máquinas, nosso corpo precisa repousar. Mas isso não significa que o dia da semana chamado sábado é o dia para parar tudo e descansar. Na semana comercial temos o final de semana, dois dias para descanso. E para adorar a Deus? Todos os sete dias!

      Os versículos de Atos que citou, eu os li. Os judeus, que seguiam a lei de Moisés, vão à sinagoga para cultuar a Deus, sempre aos sábados. O único jeito dos discípulos de Jesus pregarem o evangelho à eles, é indo ao sábado também. Indo nos outros dias da semana talvez não os encontrassem lá.

      Excluir